Histórico do mês de março 2008

escrito por | em Vidinha | 6 comentários

Convenhamos, nada melhor do que escrever um pouco após mais uma gloriosa vitória do alvinegro (e de virada, na casa do adversário, só pra completar a festa).

Faz falta escrever. Pra ser bem sincero, faz falta o ócio. Nem precisa ser o criativo, mas aquele preguicento mesmo, de se esparramar na cama e gastar alguns dvd’s madrugada adentro. Fato é que de alguns meses pra cá o foco na evolução profissional, e uma constante intenção de mudanças maiores de vida não têm deixado espaço pra certas “perdas de tempo” – que a gente sabe que de perda não têm nada.

A pequena vai muito bem, obrigado. A família nem tanto, mas deixemos pra lá e o tempo que resolva certas situações. E quanto ao trabalho, as coisas têm estado bastante agitadas. Fechei meu primeiro site há alguns dias, e anteontem fechei o segundo, que deve estar no ar em breve (e com link divulgado aqui). Mais do que isso, venho aprendendo na pancada a fazer a tal direção de arte que eu tanto queria, e a coisa toda é bem mais complexa do que eu imaginava. pra minha surpresa, venho dando conta do recado (apesar de algumas ameaças de úlcera que às vezes pintam, mas nada que o cotidiano naturalmente não absorva). Além disso, há alguns dias recebi como reforço de time uma das grandes amigas da casa, que tem deixado meu sono mais tranqüilo e a mente mais solta para possíveis novos projetos mais arrojados. Pra variar, é no trabalho e na pequena que ultimamente a energia se recarrega.

Dos outros momentos esporádicos e bem aproveitados, vem a madrugada dividida do último fim-de-semana assistindo ao início da temporada 2008 da Formula 1 (a menina dormia profundamente enquanto este animal brigava com o próprio sono assistindo à vitória do Hamilton – devido a esse vício maldito que certamente me acompanhará até o fim dos dias e será motivo de futuras discussões, podem ter certeza disso); e claro, não poderia deixar de citar: o Cirque du Soleil vale cada centavo (dos MUITOS gastos). Coisa mais linda de espetáculo, que de tão mágico e inexplicável invoca sempre uma visita futura e uma lembrança saudosista logo após o final do espetáculo.

Enfim, o relato-diarinho está feito. Outros virão, enquanto março continua me sugando a alma. Quem sabe, ainda este mês. Ou não…

escrito por | em Trabalho, Vidinha | 2 comentários

– Trabalha-se MUITO mais quando não se está num Clube;
– Trabalha-se MUITO mais quando se é diretor de arte de uma Agência;
– Trabalhando-se mais, ainda existe a necessidade de cuidar do que é seu;
– Escrever não é prioridade, mas é necessário. Por isso este post.